Páginas

sexta-feira, 11 de dezembro de 2015

Ser-flor

Enquanto eu amava ser eu, as flores cresciam e exalavam perfumes raros, não como das flores de outrora, opacas, mas como se a natureza houvesse entrado em festa, em louvor ao meu verbo duro de tão ser, mas leve como pena.

[Poeta eterno]

Nenhum comentário:

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin