Páginas

domingo, 25 de setembro de 2011

Descobridor de conhecimentos.

(...)
Ademais, aprender não reflete um estado parado, de pedra furada que desvanece aos poucos conosco. O conhecimento é dinâmicamente oferecido aos homens, mas não pode ser posse deles. O conhecimento pode estar em potes, parecer fazer parte deles à quem olhar de fora, mas com a quebra destes voltam ao habitat natural.

Tudo que o que posso aprender a perceber e conhecer do mundo é um pedaço tão pequeno da realidade, que mudará tão rapidamente, tão instantaneamente, que quase não compensa correr atrás. Por isso deixei de apegar-me a pequenos conhecimentos que não aqueles que mudam vidas.


Se, então o que aprendo também desvanece, melhor não dizer que aprendi, mas que estou em estado de aprendizado. Estado de inconstâncias e dialética.

Pois que se cada coisa toma sua forma a medida que as coisas passam, meu aprendizado deve seguir as formas que as coisas tomam, deve levar em consideração o estado de passagem destas coisas, o canal e forma de manifestação destas forças.

Talvez um dia eu aprenda, que afinal há uma essência atômica e imutável. Neste dia não sei se será necessário dizer que aprendi... mas até lá, permaneço eterno descobridor.

Um comentário:

Reflexo d'Alma disse...

Passando hoje vi essa atualização sua
e vim conferir..
é fato que
estamos e sempre
estaremos em constante estado de aprendizado
ou será em estado de repetição?
Agora me dixei em dúvidas...
preciso refletir,
pois repetimos é por que aprendemos
ou por que
decoramos?
Hunnn
Vou refletir porque há outras
perguntinhas saltando desse meu]
celebro poeta....
Eu volto,
acho...
Bjins entre sonhos e delírios

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin