Páginas

terça-feira, 29 de dezembro de 2009

As vezes a gente quer que tudo minta (A intangibilidade do fato)


Ainda que fossem palavras inúteis, continuava a vomitá-las alegando inocência, repetia palavras convincentes, afinal, tudo aquilo tinha uma explicação, "não é nada disso que você esta pensando", dizia, atropelando a língua.


Meus olhos se voltavam à cena novelesca que vivíamos. Penso que se pudessem, mesmo eles, gritariam - descrentes da realidade dos fatos.

Fatos são sempre incisivos – dizia sempre. Ao lutar contra fatos, a derrota dos argumentos era eminente. O fato era o tangível, o concreto, o que estava ali sem hesitação; o argumento o abstracional, a palavra, a materialização da ação tornada viva apenas pelo som que as pessoas emitiam ao pensar no objeto. E pensávamos que essa palavra vazia nos salvava...

(continua..)
Poeta Eterno

2 comentários:

Reflexo d Alma disse...

É...
então continua?
Adoro,
escrita em tal
proporção, eleva,
dá ânimo quando tal fluxo
renovado
percebo.
O perfeito é saber
que tem pleno
conhecimento
disso.
Bjins entre sonhos e delírios

Reflexo d Alma disse...

Feliz 2010,
pra frente sempre
entre sonhos e delírios

...Entre

...Entre o
tudo e nada há uma
lacuna,
porém
nós somos o meio
e podemos transformar
toda e qualquer
realidade ;
basta querer... Reflexo d'Alma

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin