Páginas

segunda-feira, 14 de janeiro de 2008

Talvez...

A esta hora branda d’amargura,
A esta hora triste em que o luar
Anda chorando, Ó minha desventura
Onde estás tu? Onde anda o teu olhar?

A noite é calma e triste… a murmurar
Anda o vento, de leve, na doçura
Ideal do aveludado ar
Onde estrelas palpitam… Noite escura

Dize-me onde ele está o meu amor,
Onde o vosso luar o vai beijar,
Onde as vossas estrelas co fulgor

Do seu brilho de fogo o vão cobrir!
Dize-me onde ele está!… Talvez a olhar
A mesma noite linda a refulgir…

Florbela Espanca - Trocando olhares - 29/07/1916

retirado de: http://www.prahoje.com.br/florbela/

Um comentário:

..::Andressa::.. disse...

nossa, ela sabia mesmo como tocar as pessoas com seus poemas!
lindo!!

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin