Páginas

terça-feira, 29 de dezembro de 2009

As vezes a gente quer que tudo minta (A intangibilidade do fato)


Ainda que fossem palavras inúteis, continuava a vomitá-las alegando inocência, repetia palavras convincentes, afinal, tudo aquilo tinha uma explicação, "não é nada disso que você esta pensando", dizia, atropelando a língua.


Meus olhos se voltavam à cena novelesca que vivíamos. Penso que se pudessem, mesmo eles, gritariam - descrentes da realidade dos fatos.

Fatos são sempre incisivos – dizia sempre. Ao lutar contra fatos, a derrota dos argumentos era eminente. O fato era o tangível, o concreto, o que estava ali sem hesitação; o argumento o abstracional, a palavra, a materialização da ação tornada viva apenas pelo som que as pessoas emitiam ao pensar no objeto. E pensávamos que essa palavra vazia nos salvava...

(continua..)
Poeta Eterno

sábado, 26 de dezembro de 2009

As vezes penso...

Mas nem sempre!!
Não me cabe pensar em tudo, em todos...
Quando não estou pensando...
As vezes penso em uma forma de não pensar...
As vezes calo, as vezes falo,
as vezes finjo que entendo...
As vezes penso...
Mas nem sempre, nem pra sempre...
As vezes tento não pensar nisso,
Mas acabo sempre pensando e...
Não concluo se penso todo tempo...
Ou se me pensa o pensamento.
Poeta Eterno

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin