Páginas

domingo, 8 de março de 2009

Por quanto tempo?

Por quanto tempo ainda é preciso esperar?
Quantos mortos enterrar?
Quantas vidas encerrar no apice da glória juvenil?
Muito convém...
Convém que sejamos mortos,
Convém que sejamos santos,
Convém que sejamos quietos,
Convém que sejamos tantos
Lutando por tão poucos.
Por quanto tempo mais esperar-emos?
Poeta Eterno

4 comentários:

Reflexo d'Alma disse...

É Poeta Eterno...
escrevi durante uma palestra que me enjoava,mas eu não podia sair dali correrno, então sem ter o que fazer :escrevi.
Seu texto em reporta a isso que me ocorreu hoje:
Constatação
Não a nada a fazer se não caminhar e seguir a diante .
Pois nos dispomos a acertar as arestas,limpar o caminho, isso só para depois prosseguir.
Mas de fato não adianta!
É pura perda de tempo alimentar essa ideia.
Opoeta moderno afirma aos brados:O tempo não para, não para não!!!!
Se por qualquer motivo a caminhada é retida, seja la por que motivo seja, é perda de tempo.
Pois a meta esta adiante.
Osobjetivos tambem estão a frente.
Tudo que tiver que ser feito ao longo da caminhada.
Contato portanto que seguir em frente e sempre o melhor a ser feito e observado.
Isso não significa que não ha valor no que ficou pra tras ou no que se faz pelo caminho,tudo é somatoria de experiências que só é verdadeiramente observado e valido ao longo do caminho percorrido.
Catiaho 08/03/09 as 1027am

Desculpa usar o espaço do omentario cm o texto,mas creio que cabe bem.
TA
Bjins entre sonhos e muitos delírios de liberdade hoje

Jaquelyne disse...

Até quando seremos assim vencidos...?

Poeta, belo poema!

Abraços

Menino Poeta disse...

Poucos são aqueles que lutam verdadeiramente por uma sociedade melhor
Mais muitos são aqueles que roubam dessa sociedade a dignidade de realmente viver
Como um ser “livre”.

bia de barros disse...

es-peremos,
mas não paremos:
não nos se-paremos.

*;

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin