Páginas

quarta-feira, 7 de março de 2012

Trecho de livro: Dostoievski

"Uma noite prodigiosa, uma dessas noites que talvez só vejamos quando somos novos (...) O céu estava tão fundo e tão claro que ao olhá-lo uma pessoa era forçosamente levada a perguntar-se se seria possível que debaixo de um céu daqueles pudessem viver criaturas más e tenebrosas. Questão esta que, para dizer a versade, só é costume levantar-se quando somos jovens, muito jovens mesmo, querido leitor. Prouvera a Deus que pudésseis reviver com frequência essa idade na vossa alma! Enquanto ia pensando assim em várias pessoas, é claro que acabava por recordar-me involuntariamente do panegírio que a mim próprio eu havia tecido, nesses tempos.
(...)Eu sou amigo de toda a cidade de São Petersburgo (...) Evidentemente que os outros não me conheciam; mas eu... eu os conheço. (...) Sim, posso dizer que uma vez cheguei quase a fazer uma amizade: foi com um homem já de idade (...) Tinha uma cara muito séria e pensativa, movia constantemente os maxilares, como se ruminasse qualquer coisa (...) ficamos quase a ponto de levar a mão ao chapéu, mas felizmente refletimos a tempo, deixamos cair as mãos e passamos um em frente do outro com visíveis sinais de mútua satisfação.
(...)
Disse já como durante três dias fui torturado por uma estranha inquietação, até que finalmente consegui descobrir a sua causa. Não me sentia bem na rua (não via este, nem tampouco aquele, nem aqueloutro, nem estoutro... "Por onde diabo andarão eles?"), e tambem não me sentia bem em casa. (...) Gastei inútilmente duas tardes investigando o que seria que me faltava entre as quatro paredes da minha casa. Porque me sentiria eu tão mal em casa?"
Aos interessados no trecho: é de Dostoievski, caso haja interesse, eu digo o nome do livro.

9 comentários:

Reflexo d'Alma disse...

(...)
Disse já como durante três dias fui torturado por uma estranha inquietação, até que finalmente consegui descobrir a sua causa

Me vejo nesse ponto...acho perfeita essa visão que bons auotres e otimos textos nos trazem:espelhos d'alma,seja ela de que ser ou tempo seja...
Amo...momento unico....meu.
Bj

manzas disse...

Redigi no pulsar
Do meu ser
Uma valiosa
Carta guardada...
O sol não nascerá
Sem que passe por lá
Para a ler,
Ou ela será
Lacrada.

(rss)

Obrigada pela visita
e comentário
Que deixou no meu

Pensamentos

O eterno abraço...

-MANZAS-

Tatiana disse...

Para mim dias especiais são aqueles que compartilhamos com pessoas que nos fazem bem... por isso estou aqui. Junto de Ti meu dia ganha muito mais cor!
Obrigada por seu carinho e presença em meu blog.
Um beijo carinhoso

Su Angelote disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Su Angelote disse...

Eu acredito que,todos os dias vividos são especiais ao seu modo.
Saber que temos amigos e também temos medo de perder a estrutura da palavra, nos alcança um certo temor que mostra no livro, sua altivez. Já li e achei completo.
Um beijo meu lindo poeta.

Reflexo d'Alma disse...

Que tal Poeta eterno?
(...)Caminhava cantando,pois quando estou contente gosto de cantarolar,como qualuqer homem feliz que não tenha amigos,nem conhecidos , e que nos seus momentos de felicidade nao tem com quem Compartilhar a sua alegria.(...)(...)Silênciosa estendeu-me o braço ainda tremulo de emoção e susto.(...)Oh Intruso, como te abençoei naquele momento!

Sérgio Filho disse...

Qual o titúlo da bela obra?

Naty disse...

ola passei para te desejar um bom fim de semana e dizer.te que adotei ter estado aqui
bjs naty

Poeta Eterno disse...

o título é: Noites Brancas... um clássico!!!

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin